7 hábitos que te fazem gastar mais na hora das compras

7 hábitos que te fazem gastar mais na hora das compras

Algumas medidas simples e práticas podem te ajudar a economizar dinheiro antes daquele passeio pelo shopping center.

Enquanto promoções, cupons de descontos e benefícios oferecidos por programas de fidelidade devem ganhar atenção especial do consumidor na hora de adquirir produtos, fazer compras em atacado e buscar barganhas incansavelmente podem ser um tiro no pé para quem busca gastar menos.

Veja abaixo sete erros que te fazem perder dinheiro na hora das compras:

1) Não buscar promoções
Pode parecer óbvio, mas, na correria do dia a dia, pesquisar ofertas é algo que pode acabar passando batido. Mas o consumidor que não realiza essa pesquisa antes de adquirir um produto corre um grande risco de jogar seu dinheiro no lixo.

O argumento de que falta tempo para garimpar ofertas não é suficiente: bastam alguns cliques em sites comparadores de preço para verificar quais estabelecimentos oferecem preços mais baixos na compra de um produto específico.

O comparador de preços Zoom, por exemplo, reúne ofertas em uma seção do site. É possível ordenar as promoções pelos maiores descontos e também filtrá-las por categoria de produtos (como eletrônicos e livros). Outros sites como Buscapé e Bondfaro, também podem ajudar na comparação.

2) Não pesquisar cupons de desconto
Antes de concluir compras online, vale checar se existem cupons de desconto disponíveis para a compra daquele produto específico.

Os cupons de desconto são oferecidos pelos próprios sites que vendem o produto ou por empresas especializadas, como a Cuponation e a Cupons Mágicos. Para utilizá-los, basta inserir o código do cupom no campo correspondente, que geralmente é apresentado na etapa final da compra (veja como economizar usando os cupons de desconto).

Para facilitar a busca do consumidor, o site agregador de cupons de desconto Méliuz tem uma ferramenta chamada Lembrador. Ao instalar a ferramenta no navegador, o consumidor recebe notificações sobre cupons de descontos disponíveis sempre que acessar os sites das lojas parceiras do Méliuz.

3) Não planejar as compras com antecedência
Por que utilizar todo o valor do 13º salário para comprar presentes de Natal se é possível economizar aos poucos para arcar com essa despesa? Ao formar uma reserva financeira para contornar esses gastos, é possível evitar descontroles financeiros no final do ano.

O conselho é válido principalmente para quem precisa se preocupar também com o pagamento do IPTU e IPVA e de despesas escolares no início do ano, diz José Vignoli, educador financeiro do portal Meu Bolso Feliz, doSPC Brasil. “Assim, é possível evitar o uso do cartão de crédito. O valor economizado também pode ser utilizado para outros tipos de compras previsíveis, como presentes de aniversário, por exemplo”.

4) Comprar os produtos errados no atacado
Comprar produtos no atacado pode parecer uma tática certeira de economia. Mas, dependendo da compra, o preço mais baixo pode não compensar o risco de desperdícios. “Esse tipo de compra é recomendado para famílias maiores”, diz Vignoli, do Meu Bolso Feliz.

Para famílias mais enxutas, a dica é evitar a compra no atacado de produtos perecíveis, como frutas e vegetais, que têm prazo de validade mais curto; produtos enlatados em tamanhos maiores, que têm de ser consumidos rapidamente após abertos; além de condimentos em embalagens maiores, que, por serem consumidos de forma mais esporádica, também podem perder a validade antes de serem utilizados integralmente.

5) Ignorar os benefícios de programas de fidelidade
Diante da grande quantidade de programas de fidelidade, oferecidos tanto por companhias aéreas, como por administradoras de cartões de crédito, lojas e restaurantes, fica fácil perder o controle dos benefícios que podem ser obtidos na hora de realizar compras.

Para ajudar a sanar esse problema, o aplicativo Oktoplus reúne informações sobre mais de 20 programas de fidelidade no celular e ajuda o usuário a monitorar os pontos acumulados nos programas dos quais faz parte. Outra forma simples de não perder o controle dos benefícios é ficar atento aos contratos e prazo de validade dos pontos de cada programa utilizado (veja 6 dicas para quem ignora o programa de fidelidade do cartão de crédito).

6) Ter um cartão de loja e ignorá-lo
Antes de ir às compras, o consumidor deve lembrar de checar os cartões de lojas que podem estar perdidos na sua carteira e avaliar se vale a pena ou não utilizá-los.

Eventuais benefícios podem não compensar taxas altas de juros e anuidades cobradas nesses cartões. “Nesse caso, pode ser interessante repensar se o plástico é, de fato, vantajoso, e se vale a pena continuar a mantê-lo na carteira”, diz Vignoli, educador financeiro do site Meu Bolso Feliz.

7) Achar que as pechinchas são sempre o melhor negócio
Quem só tem olhos para pechinchas pode acabar caindo em armadilhas que trazem prejuízos.
De que adianta preferir um produto que é 50% mais barato se a sua qualidade deixa a desejar? Nesse caso, o consumidor corre o risco de ter de substituir o produto mais rápido.

Juntas, as duas compras podem sair mais caras do que se a opção fosse pelo produto mais durável, ainda que seu custo inicial fosse maior.

Fonte: CNDL

COMPARTILHE

COMENTAR

Deixe seu Comentário