Dois em cada dez microempresários não separam conta física da jurídica

Dois em cada dez microempresários não separam conta física da jurídica

Misturar conta pessoal com a da empresa é maior erro dos empreendedores.

12% de pequenos empresários admitem estar inadimplentes, aponta o SPC.

Separar as finanças pessoais das contas do negócio ainda é um desafio para quem abre uma empresa no Brasil.

Quando montou o estúdio de maquiagem, há nove meses, Jussara atropelou as contas. O cartão de crédito de uso pessoal eu comecei a usar para comprar móveis do estúdio, para comprar maquiagem e para repor produtos. Não sabia qual era o meu lucro e qual era o meu gasto com material, diz a maquiadora Jussara Valério Guimarães.

Alguns empreendedores não adotam medidas de controle para a vida financeira da empresa. Segundo um estudo feito pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), em todas as capitais do Brasil dois em cada dez micro e pequenos empresários não conseguem separar as contas pessoais da finanças do negócio.

24,3% dos entrevistados não fazem balanço patrimonial, 31,8% deixam de lado o planejamento orçamentário e, atualmente, 12% dos pequenos empresários admitem estar inadimplentes.

Ele tem que se planejar, somar as dívidas e ele tem medo de colocar as dívidas na ponta do lápis. Ele tem que somar as dívidas e, então, fazer um planejamento de como ele vai fazer o pagamento, aponta Beatriz Carvalho, analista de finanças do Sebrae.

Eduardo procurou o Sebrae e conta que no último ano não sabia quanto ganhava e nem quanto devia. Ele só acordou quando entrou no vermelho. Aí percebeu que era hora de ter um livro de caixa para controlar os ganhos e os gastos.

“Hoje eu compro o essencial, tenho vários projetos, mas enquanto não tiver capital de giro não vou tentar fazer aquilo que tenho vontade de fazer. Só se tiver dinheiro, lembra o autônomo Eduardo Sérgio de Almeida.

COMPARTILHE

COMENTAR

Deixe seu Comentário