Primeiro semestre registra queda recorde nas vendas a prazo

Primeiro semestre registra queda recorde nas vendas a prazo

Indicador mostra recuo de 2,64% no acumulado dos seis primeiros
meses do ano. Em junho, o indicador anual teve queda de 3,42%
 

O número de consultas para vendas a prazo do banco de dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) teve um novo recuo de 3,42% em junho na comparação com o mesmo mês do ano anterior. É a quinta queda consecutiva do indicador anual.

 Assim, o primeiro semestre de 2015 fecha com um recuo recorde: o acumulado dos seis primeiros meses apresentou uma queda de 2,64% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No ano passado, o acumulado do mesmo período apresentou recuo de -1,41% frente a 2013.

“Mais uma vez a queda no número de consultas para vendas a prazo reflete a desaceleração da economia, com inflação elevada, altas taxas de juros e o aumento do desemprego. A piora no cenário econômico leva à restrição na oferta de crédito e a confiança do consumidor segue em declínio. Isso diminui a disposição para o consumo de bens de maior valor”, diz o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Na variação mensal, queda de 2,77%

Na comparação mensal, de junho 2015 sobre maio 2015, as consultas para vendas parceladas registraram queda de 2,77. Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, esse recuo é esperado: “As vendas no Dia dos Namorados caíram 7,82% em relação ao ano passado, e não foram suficientes para impulsionar o volume total de vendas em junho”, diz. “No mês anterior, o indicador de vendas subiu 4,43% devido ao Dia das Mães, a segunda data comemorativa mais importante para o varejo depois do Natal. Em junho a tendência é sempre uma queda no indicador, já que o dado retorna para o padrão anterior”, explica a economista.

COMPARTILHE

COMENTAR

Deixe seu Comentário