Black Friday ajuda a consolidar redes sociais como principal canal do varejo

Black Friday ajuda a consolidar redes sociais como principal canal do varejo

Data deve ter alta neste ano frente a 2015

A disseminação de campanhas promocionais em redes sociais como Facebook, Instagram e Whatsapp para a Black Friday, que acontece no próximo dia 25 de novembro, ajudou a consolidar estes canais como o principal elo entre lojas e clientes, levando até algumas varejistas a triplicar os aportes nestas ferramentas.

Mais baratas e versáteis, em comparação às campanhas em mídias tradicionais (TV, rádio, jornais e revistas), a divulgação de ofertas pelos sites de relacionamento na internet cresce em larga escala, principalmente após as ferramentas disponibilizarem opções voltada à captação de consumidores e seguidores.

“Este ano as redes sociais se estruturaram para atender desde o pequeno empreendedor até gigantes do varejo, o que as tornou em um canal de mídia muito relevante para o setor. Facebook e Instagram, por exemplo, além de demandarem investimentos mais baixos, te dão a liberdade de segmentar as campanhas para que elas atinjam o seu público alvo”, comenta o presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), Eduardo Terra.

Ao se preparar e iniciar a divulgação de suas campanhas para a Black Friday, as varejistas têm deixado claro que a opção é vantajosa e ajuda a captar vendas para a data promocional. Não à toa, uma pesquisa do Grupo Bittencourt mostra que a principal estratégia de marketing das franquias para divulgar suas ofertas está baseada nas redes sociais. Segundo o estudo, 81% das franquias que participarão da ação vão se utilizar destes canais para chamar o consumidor. Na sequência, aparecem e-mail marketing (63%), site da empresa (52%), vitrine (52%), anúncios (26%) e panfletos (7%).

Além de demandar menos investimentos, as redes sociais também têm atraído as varejistas pela possibilidade de criação de campanhas segmentadas, voltadas à um determinado público alvo, de acordo com Terra, da SBVC.

“Nas redes sociais você pode observar quantas pessoas sua campanha atingiu, quem foi atingido e qual foi o resultado”.

Franquias como a Óticas Carol e a Sóbrancelhas, por exemplo, utilizam as redes como principal canal de relacionamento com os clientes. Mesmo com um público principal formado por pessoas acima de 40 anos, a Óticas Carol diz conseguir atingir os jovens consumidores com campanhas em sua página no Facebook, onde ela possui mais de dois milhões de seguidores.

“Nós continuamos investindo em mídia televisiva, inclusive para esta Black Friday. Mas, de 2014 para cá, triplicamos os investimentos nas nossas redes sociais e o resultado se mostrou positivo”, afirma a diretora de marketing da Óticas Carol, Raquel Pirola. A empresa, no entanto, não abriu os números investidos.

Para a data promocional, que acontece em todas as suas 950 unidades pelo País, a rede diz que vai oferecer descontos de até 70%, frutos de uma intensa negociação com os fornecedores e de pontuais reduções de margem, com foco no avanço do volume de vendas.

Muito além do on-line

Apesar de ter nascido no e-commerce, a Black Friday agora se consolida como uma data promocional para todos os segmentos do varejo, inclusive serviços e lojas físicas, como é o caso da Óticas Carol.

De acordo com um estudo do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio), o número de lojas físicas que revelaram participar do evento promocional deste ano é 76% maior se comparado à 2015.

Assim como as franquias, a varejista eletrônica Francisca Joias também aposta nas redes para angariar vendas na Black Friday. A marca possui mais de 250 mil seguidores no Facebook e outros 200 mil no Instagram, de acordo com a CEO da empresa, Sabrina Nunes.

“Criamos até uma brincadeira perguntando aos nossos fãs nas redes quais os produtos eles gostariam de ver nas promoções de Black Friday. E pretendemos colocar os escolhidos na liquidação”, indica.

Para ela, as mídias sociais são excelentes canais de comunicação com o cliente, mas que os custos também não são mais tão irrisórios quanto há alguns anos. “Os custos [com mídias sociais] cresceram, mas ainda assim vale mais a pena que a mídia de massa”, afirma.

Até lojas voltadas a produtos perecíveis, como a Bololô, que comercializa bolos, Ice Creamy Sorvetes e Sterna Café, pretendem aproveitar a data com descontos que variam entre 30% a 50% em alguns itens.

Voltada a serviços, a Sóbrancelhas oferecerá 50% de desconto no Sérum para cílios e sobrancelhas. Novamente, o Facebook foi mencionado pelas duas redes como a principal ferramenta de divulgação dessas ofertas.

Terra, da SBVC, crê que a força das redes sociais, aliada a uma demanda reprimida e alta da confiança leve o Black Friday a ter vendas 20% superiores frente à data de 2015.

COMPARTILHE

COMENTAR

Deixe seu Comentário